Fonte: sbd.org.br
Mês de prevenção e tratamento precoce da Hanseníase

Campanha de conscientização sobre a Hanseníase oficializada em 2016 e a cor roxa para pontuar as campanhas educativas sobre a doença que ainda é vista com preconceito e desinformação.

A hanseníase, anteriormente conhecida por lepra, teve seu nome alterado no Brasil no ano de 1976. Essa mudança ocorreu por uma iniciativa do médico dermatologista Abrahão Rotberg, professor da Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal São Paulo (EPM/Unifesp), e teve por finalidade reduzir o preconceito em torno desta doença que, por muitos anos, teve seus pacientes sofrendo rejeição e exclusão social.

O que causa a doença?

Essa infecção é causada por uma micobactéria denominada Mycobacterium leprae ou bacilo de Hansen, este segundo nome em homenagem a Armauer Hansen, cientista norueguês responsável por identificá-la no ano de 1873. Acomete homens e mulheres em igual proporção, em qualquer idade e afeta principalmente pele e nervos periféricos (superficiais).

Como é feita a transmissão?

Para que haja contaminação é necessária uma exposição prolongada à bactéria e, dentre os infectados, apenas uma pequena parcela realmente adoece e desenvolve sintomas. Sua transmissão ocorre através das vias aéreas superiores, por contato com gotículas de saliva ou secreção nasal.

Os primeiros sintomas podem levar de 2 a 7 anos para aparecerem. Portanto, trata-se de uma doença crônica de evolução lenta. A transmissão se dá por meio do convívio próximo e prolongado com uma pessoa doente que não esteja em tratamento (iniciado o tratamento, não é mais transmitida).

  • Manchas (esbranquiçadas, amarronzadas e avermelhadas) na pele com mudanças na sensibilidade dolorosa, térmica e tátil.
  • Sensação de fisgada, choque, dormência e formigamento ao longo dos nervos dos membros
  • Perda de pelos em algumas áreas e redução da transpiração
  • Inchaço e dor nas mãos, pés e articulações
  • Dor e espessamento nos nervos periféricos
  • Redução da força muscular, sobretudo nas mãos e pés
  • Caroços no corpo
  • Pele seca
  • Olhos ressecados
  • Feridas, sangramento e ressecamento no nariz
  • Febre e mal-estar geral

Se apresentar um ou mais desses sinais e sintomas, procure ajuda médica. O posto de saúde mais próximo de sua casa ou uma equipe de saúde da família podem lhe ajudar. Neles, é possível fazer exames e receber orientações de como se tratar!

Em caso de diagnóstico confirmado para hanseníase, oriente as pessoas com as quais mantém contato próximo e regular (familiares, amigos, colegas de trabalho) a também irem ao médico para serem examinadas.

Quem tem diagnóstico para hanseníase deve começar a tomar os medicamentos prescritos de imediato. Ao fazer isso, o paciente deixa de ser transmissor da doença. E atenção: é importante não abandonar o tratamento ou deixar de tomar os remédios.