Home > Calendário da Saúde> Março > Dia Mundial dos Defeitos do Nascimento


03/03 - Dia Mundial dos Defeitos do Nascimento

O Dia Mundial dos Defeitos do Nascimento ou anomalias congênitas, comemorado no dia 3 de março de cada ano, reúne pessoas e organizações que trabalham na área dos defeitos congênitos como uma voz coletiva no esforço para aumentar a conscientização sobre o problema, suas causas e seu impacto em todo o mundo! O tema de 2021 é “Muitos defeitos de nascença, uma voz”.

Todas as crianças têm direito a um início de vida saudável. Os bebês que nascem com defeitos congênitos estão particularmente sob risco de morte e invalidez para toda a vida. Muitos defeitos congênitos podem ser prevenidos e tratados. Mas, quando um bebê nasce com um defeito de nascença, receber os cuidados certos o mais rápido possível dá a ele a melhor chance de viver e o ajuda a atingir seu potencial máximo. É necessário fortalecer os serviços de saúde para atender às necessidades dos bebês que nascem com defeitos de nascença, em particular em países de baixa e média renda, onde os sistemas de saúde são mais frágeis e o fardo dos defeitos de nascença é o mais alto. Para promover a qualidade do atendimento e a cobertura universal de saúde para crianças com malformações congênitas, devemos trazer à luz a perspectiva dos direitos humanos e a necessidade de prestar assistência.

As malformações congênitas são anomalias estruturais ou funcionais que ocorrem durante a vida intra-uterina e podem ser identificadas durante a gravidez, no nascimento ou, algumas vezes, posteriormente. Podem afetar quase todas as partes do corpo (por exemplo, coração, cérebro, pés), comprometendo a aparência ou o funcionamento do corpo, ou ambos.

São a segunda principal causa de morte em recém-nascidos e crianças menores de cinco anos nas Américas — em primeiro lugar está a prematuridade. Estima-se que um em cada 33 bebês nasce com defeito congênito no mundo e, anualmente, cerca de 270 mil recém-nascidos morrem nos primeiros 28 dias de vida tendo como causa algum problema congênito. Apesar de nem todas as anomalias congênitas serem fatais, muitas crianças que sobrevivem têm maior risco de apresentarem deficiências em longo prazo, requerendo serviços de saúde e outros serviços de apoio, para melhorar sua qualidade de vida.

Causas:

A maioria dos defeitos congênitos ocorre nos primeiros 3 meses de gravidez, quando os órgãos do bebê estão se formando. As anomalias congênitas podem ter origem genética, infecciosa, nutricional ou ambiental. Embora seja difícil identificar a causa na maioria dos casos, há fatores que aumentam a chance de ocorrência desses agravos:

  • fumar, utilizar bebidas alcoólicas ou drogas durante a gravidez;
  • obesidade e ou diabetes não controlado antes e durante a gravidez;
  • fazer uso de medicamentos contra indicados no período gestacional;
  • ter alguém na família com defeito de nascença;
  • idade da mãe acima de 35 anos.

Há defeitos raros como a microcefalia, ou frequentes, como as fendas faciais ou o conjunto das displasias esqueléticas. Os distúrbios graves mais comuns de nascimento são defeitos no coração, defeitos do tubo neural e síndrome de Down.

Em toda gravidez, uma mulher tem cerca de 3-6% de chance de ter um bebê com defeito de nascença, que é chamado de risco de fundo. Muitos podem ser prevenidos ou tratados com medidas básicas na assistência pré-natal adequada, como a vacinação de meninas contra rubéola (previne a síndrome da rubéola congênita) e a fortificação de alimentos com ácido fólico e vitamina B-12 (para evitar a ocorrência de defeitos do tubo neural como, espinha bífida e anencefalia).



Fonte: BVSMS